Publicado por: Peter | Sábado, 4-Fev-2012

Expomoto 2012

Olá motards,

Hoje o dia começou gelado, mas o entusiasmo de ir num passeio de mota até à Batalha para ver a Expomoto, até fez com que a temperatura baixasse subisse 1 ou 2 graus, mas mesmo assim, estava de bater o dente.

Antes de sair de casa para tomar o pequeno almoço e comprar alguma coisa parecida com um almoço para fazer uma espécie de pique-nique, passei um pano pela mota para não parecer tão descurada como realmente tem estado, e por castigo ou não, dei um chuto involuntário num paralelo do passeio e abri logo uma conduta de ar na frente da bota. O estrago não foi assim tão grande e nem sequer foi o primeiro do género esta semana, por isso esqueci o sucedido e lá fui eu.

Parei para tomar o pequeno-almoço no sítio do costume (ao fim-de-semana) e para além disso pedi uma sande de queijo em pão de água e outra em croissant. Saltando um bocado à frente (já na hora de almoço), reparei que apenas o croissant tinha queijo, o pão estava intacto. Fácil de resolver… passou-se o queijo para o pão e o croissant foi a seco que também é muito bom.

Eram umas 10:30 quando arrancámos de Condeixa (eu e um casal amigo), recebi depois uma mensagem que um grupo que vinha do Porto estava um bocado fora do horário também e estavam ainda a chegar a Coimbra. Portanto seguimos viajem nas duas PCX.

Na minha Honda PCX já na Batalha

Chegada à porta do Exposalão por volta das 12:00, ainda não havia grande alarido e a indicação foi que as bilheteiras abriam às 13:00 e a entrada do público era às 14:00. Posto isto seguimos para os jardins do Mosteiro da Batalha para almoçar. Entretanto chegou também o grupo onde estava o meu primo (CMN – Clube Maxiscooters do Norte) e almoçámos todos juntos. É nestas alturas que se vai aprendendo mais uns truques com os mais experientes e não só… Cada vez que me lembro que vim com os dedos das mãos gelados e outros vinham a suar! Sem comentários.
Como ainda não tínhamos bilhete, depois de almoço (13:10) fomos para o comprar quando nos informaram, já na porta, que afinal as bilheteiras só abriam às 14:00 bem como as portas do salão.

Após uma espera ao Sol, porque o frio não desgrudou, lá entrámos finalmente na exposição.

O que há a dizer?! Estava conforme as espectativas… muitos modelos, muitos sonhos, muita perdição!
Mas valeu a pena e está patente entre 4 e 12 de Fevereiro de 2012.

O regresso a casa foi um espectáculo, pois viemos na fantástica companhia do CMN que nos acolheu no plutão até à nossa saída, eles continuaram até ao Porto.
Desde já o meu Obrigado para eles!

Adeus e não abanem muito o capacete…

Publicado por: Peter | Sexta-feira, 27-Jan-2012

Cabelos Brancos


Olá velhotes,

Todos os dias de manhã me olho ao espelho quando vou secar o cabelo e pentear-me e quando tenho de desfazer a barba, ou melhor, esta pequena plantação capilar que devido a uma distração qualquer por parte do meu pai na hora em que me concebia ficou esquecida; sim pai, porque um homem às vezes precisa de ter uma barba como deve ser, quanto mais não seja para justificar ter de ligar a máquina de barbear de dois em dois dias, porque senão parece mal de tão pouca que é.

Mas voltando a outras pilosidades, quando me olho ao espelho noto que de dia para dia brotam mais um ou outro cabelo branco. Não é que me meta medo ou qualquer coisa do género, até tem o seu charme. Nascem um pouco por todo o lado, no meio do cabelo, nas sobrancelhas e até na parca barba.

Há pessoas que vão de imediato pintar o cabelo porque não se pode saber que estão a envelhecer. Como se não soubéssemos todos o que acontece a quem resolveu um dia vir a este mundo…
Eu nunca vou pintar o meu!

Já a minha mãe me dizia:
“- Tu fazes-me os cabelos brancos!”
Eu agora percebo-a, porque quase que posso jurar que os sinto a crescer em certos dias de maior nervosismo. E pensando bem nos cabelos dos meus avós, chego à conclusão que os meus pais devem ter sido frescos.

Às vezes estas e outras questões deixam-me os cabelos brancos… mas não o suficiente para ter medo dos sinais do tempo.

Adeus e relaxem porque essa cor fica-vos tão bem!

Publicado por: Peter | Terça-feira, 24-Jan-2012

Lambidelas no ar!

Olá a todos os rafeiros,

Um dia destes vou descobrir o fascínio que “o melhor amigo do homem” tem por apanhar vento nas ventas!
Um cão só se deve considerar um verdadeiro cão depois de ter cumprido alguns objectivos:

  • Ganir as primeiras duas semanas como se não houvesse amanhã até deixar os donos moribundos de sono;
  • Urinar e defecar em pontos chave da casa durante alguns dias até começar a doer o lombo dos correctivos, depois escolher um local fixo ou pedir para ir à rua;
  • Roer duas ou três peças de mobiliário, umas calças e uns sapatos ou chinelos (deixar fora da lista as meias de vidro da dona caso haja felinos em casa);
  • Dar umas quantas mordidas nuns dedos, dando sempre a entender que foi no calor do momento de brincadeira;
  • Pedir sempre que alguém se sente à mesa a comer a refeição, pois muito provavelmente será melhor que aquela coisa castanha à bolinhas a que chamam ração;
  • Depois de descobrir a sensação de apanhar com o vento no focinho, sentindo a imensidão de odores bons e maus enquanto o carro desliza pelo asfalto, nunca mais deixar de tentar subir para a janela, mesmo que as otites ataquem forte e feio… vale a pena;
  • Ter pelo menos uma pulga de estimação quando for maior de idade, o que acontece por volta dos 6 meses, e não precisa ser sempre a mesma para não parecer mal.

Portanto há dois dias atrás, a “minha melhor amiga” descobriu o fascínio de andar a lamber o ar como se não houvesse amanhã, só não repetiu a faceta no regresso porque teve de andar quilómetros junto à praia e (por falta de experiência) isso deixou-a de rastos.
Quanto ao resto dos objectivos da lista, alguns foram já atingidos e outros felizmente ainda não.

Cá fica a foto do momento em que se deu a divina experiência.

Lambendo o ar...

Adeus e boas lambidelas, mas cuidado com os mosquitos!

Publicado por: Peter | Segunda-feira, 23-Jan-2012

Muito Riso, Pouco Siso

 

Olá a todos os desdentados,

Antes de mais, continuo sem interessados nos meus dois dentes do siso com kit de astronomia incorporado. O prazo limite da oferta termina a 7 de Março, altura em que definitivamente me vão instalar algum juízo através de uma pequena (dizem eles) cirurgia.
Este kit não é novo, pois continuo a usá-lo todos os dias para ver estrelas, cada vez que tento trincar qualquer coisa mais dura ou até mesmo deitar-me sobre a face direita; de qualquer modo, está a funcionar bem.

Muito riso, pouco siso.

Desconheço a origem deste provérbio, “Muito riso, pouco siso.” mas compreendo o seu triste e doloroso significado; aliás, para mim é “Muito siso, pouco juízo”, porque enquanto tiver aqui estes dois atarrachados, não vou ter sossego, pois moem-me o juízo.

Pergunto eu: Qual a função do dente do siso?
– Nenhuma, respondem os dentistas.
e eu concordo com eles, pois alguns nem se atrevem a removê-los; somos encaminhados para cirurgiões maxilo-faciais para fazer o trabalinho como deve ser.

Se como eu, tiverem um seguro “porreiro”, conseguem sair do consultório na mesma como entraram e com uma palmadinha nas costas para não desanimar, mas pagamos cerca de 13€, caso não tenham hipótese de ter seguro, então também não devem ter hipótese de ir ao dentista, porque a diferença é só na conta, em vez dos 13€, pagam para aí uns 60€ e vêm na mesma com os dentes e talvez uma receita para aliviar um pouco a dor.

Depois a saga continua nas urgências de um hospital ou num outro local qualquer privado (para quem tem pressa e/ou disponibilidade).

Pensem nisto com juizinho nessas cabeças.

Adeus e boas trincas.

Publicado por: Peter | Sábado, 21-Jan-2012

The Return…

Boa noite saudosos,

Ouvi dizer por aí que este país está à beira do abismo moral, o que me parece um bocado absurdo, uma vez que quando deixei a minha “carta” de despedida neste blog em Novembro de 2009, o país estava exactamente na mesma… estava era distraído com outras parvoeiras.

Este meu regresso, surge de uma vontade de voltar a esmiuçar os acontecimentos do meu dia-a-dia de uma forma que as pessoas normais percebam, e digo normais porque por exemplo, um P.R. chamado Aníbal, nos tempos que correm, terá certamente dificuldade em perceber um tipo de humor “víboroso” que por vezes gosto de usar. Por outro lado, este nosso P.R. é com toda a certeza, um dos homens mais bem humorados da Europa, quiçá de Portugal, senão não teria a imaginação, a audácia e a displicência de vir dizer em plena TV que não sabe como vai gerir as suas despesas com a parca reforma que aufere.
Desde já me coloco à disposição para ajudar no que for necessário Exmo. Sr. P.R.

Continuando, agora com coisas sérias!
Desde o meu último artigo por estas bandas até ao dia de hoje, muita coisa mudou; umas para melhor e outras para pior, mas estamos cá para escrever sobre isso e quem sabe, rirmos um bocado às minhas custas, se não puder ser às custas de outra coisa qualquer!

Adeus e não se esqueçam de ajudar o pobre do nosso Aníbal…

Eu ajudo...

 

Publicado por: Peter | Quinta-feira, 4-Nov-2010

Ser Ecológico

Boa noite,
Hoje, por motivos profissionais tive de ficar alojado num hotel, como tantas outras vezes acontece. E numa época em que o Orçamento de Estado acaba de ser aprovado, as pessoas começam a ter certos tipos de preocupações, mas algumas levam essas preocupações mais à frente.
É certo que a preocupação da protecção ambiental é também uma forma de poupança mas vejam só o que se me deparou neste Hotel Ibis (não vou revelar onde):
Logo quando cheguei à recepção para efectuar o “check in” estava um Idoso a informar que no quarto 12 o autoclismo não estava com pressão suficiente ou estava avariado; o funcionário aprontou-se a responder que já tinham reportado à “manutenção” e que teria o sr. (idoso) de carregar com bastante força para haver descarga. Ora eu, que tinha já a chave do nº142 na mão, não liguei muito embora tivesse achado estranho.
Após um lanço de escadas, um longo corredor e uma cortada à direita que me revelou novo corredor, desta vez mais curto, lá cheguei ao meu quarto.
O manjar numa famosa cadeia de “fast food” Mc…. deu-me a volta ao intestino e tive logo de estrear o trono; enquanto enviava aquele fax urgente, pus-me a ler um daqueles cartões que é costume encontrar nos hotéis, e este estava pendurado num cabide no lugar da toalha de banho com o seguinte texto:
“Aqui AS SUAS toalhas plantam árvores”, virei o cartão e continuei a ler:
“Deseja reutilizar a sua toalha? Se a sua resposta é sim, agradecemos que a coloque no toalheiro.

Neste hotel.

5 toalhas reutilizadas = 1 árvore plantada”
É bonito e é ecológico mas imaginem que em vez de uma noite e ficava 5?! Eles plantariam a minha árvore?
Quando terminei o expediente (envio de fax), tratei da minha limpeza e não é que o sacana do autoclismo não tinha força nem para afogar uma formiga? Bem dizia o velho na recepção mas será que ele tinha lá um monstro a espreitar que se recusava a ir cano abaixo como o que estava na minha sanita?
Solução?

Encher de água o balde do papel que estava debaixo do lavatório e despejá-lo para combater aquele monstro que teimosamente se mantinha imóvel.

Resolvido este contratempo, fui para junto da minha cama e eis que outro cartão repousava na minha almofada, desta vez com os seguintes dizeres:
“Em conjunto, preservamos o nosso planeta. Preservemos a água.
A água é um recurso… etc.
Os seus lençóis são trocados todos os dias. Contudo pode optar por guardá-los mais um dia, voltando a face deste cartão e colocando-o na sua almofada.”
Eu voltei o cartão para ver o que estava lá:
“Hoje, não trocar os meus lençóis. Obrigado.”
Meus amigos, o que estão a fazer não é promover o ambientalismo, é promover a Falta de Higiene!
Senão reparem: não troque a toalha de banho, não troque os lençóis e ainda por cima me tiram o caudal de água para descarregar o autoclismo.
Fiquei Verde, mas foi de raiva.

Poupem papel e não imprimam esta história!
Publicado por: Peter | Terça-feira, 5-Out-2010

O início

Há 100 anos que andamos a tentar descobrir como funciona isto!
(implantação da República)

Publicado por: Peter | Terça-feira, 3-Nov-2009

Despedida…

Olá a todos,

Hoje venho comunicar-vos que este blog vai ficar inactivo, ou seja, este post será o último que deverão ler aqui!

Mas não dêm já pulos de alegria… pois podem sempre continuar a ler no novo site!!!!

www.pedromelo.eu

onde vão encontrar para além do blog (o novo e este), galerias de fotos, entre outros assuntos.

E agora pergunto eu:
o que é que ainda estão a fazer aqui????

Adeus e até já em www.pedromelo.eu

Publicado por: Peter | Sábado, 24-Out-2009

Leituras

Olá a todos os letrados,

Há já algum tempo que tenho uma necessidade urgente de adquirir algumas prateleiras para o arquivo dos meus livros. O meu sótão, como se pode +/- ver na imagem 1) está a ficar lotado.
Ele é revistas, livros de toda a espécie e feitio e muito pouco espaço para tudo isso.

Sotão sobrelotado de literatura

Sotão sobrelotado de literatura

Mas deixando os problemas de espaço para trás, adquiri esta semana o livro comemorativo dos 50 anos de Asterix. Esse é para acabar de ler hoje, e ao mesmo tempo ando a ler um livro com o seu quê de polémica, uma vez que foi retirado do mercado por ordem dos tribunais, falo-vos do livro de Gonçalo Amaral, “Maddie – A Verdade da Mentira”. Lê-se bem pois é real o suficiente para nos prender à sua leitura e ao contrário do novo do Nobel da literatura português, não se trata de um golpe de marketing.
Por acaso tive a sorte de adquirir o livro antes da sua retirada das bancas forçada, mas mesmo que não o tivesse em formato papel, já recebi pelo menos 3 mails com a versão em pdf.

Os 50 anos de Asterix

Os 50 anos de Asterix

 

Livro Banido em Portugal

Livro Banido em Portugal

Claro que estas minhas leituras, são apenas para passar tempo até dia 29 deste mês, data em que é lançada a versão portuguesa do novo livro de Dan Brown que faço questão de comprar no 1º dia.

E assim vão as minhas leituras…

Adeus e beijinhos na lombada.

Publicado por: Peter | Terça-feira, 13-Out-2009

Vídeo de Maitê Proença ofende portugueses

maiteOlá a todos os fãs de “novélais”,

Anda por aí uma “jararaca” a fazer qualquer coisa que acho que nem ela sabe bem o que é.
Não posso dizer que seja ofensivo, porque não chega lá… é Parvo!

Vídeo de Maitê Proença ofende portugueses – TV & Media – DN

Adeus e agora não se esqueçam e vão comprar livros desta gaja!

« Newer Posts - Older Posts »

Categorias